Verão e óculos escuros de má qualidade: seus maiores inimigos

Quando chega o verão, ou mesmo em dias nublados e mais frios, todo mundo lança mão de um bom óculos escuros, correto? Não, errado. Tragicamente, mais da metade dos brasileiros (para falar da nossa realidade) não protege os olhos do sol e essa falta de proteção pode desencadear diversas doenças.

O excesso de exposição aos raios ultravioletas – que aumentou consideravelmente nos últimos 50 anos por causa da redução da camada de ozônio – pode originar danos irreversíveis aos olhos. Mais delicados que o resto do corpo, nossos olhos estão suscetíveis a diversos males, como olho seco, catarata, doenças do fundo do olho, câncer nas pálpebras, entre outros. A única forma de evitar as enfermidades é proteger a visão da radiação ultravioleta.

Usar óculos de qualidade duvidosa, inclusive, é pior que não usá-los. E mesmo os que têm boa qualidade, podem estar vencidos. Sim, o filtro UV nas lentes se desgasta com o tempo – o prazo de validade dura, em média, dois anos. Quando você usa óculos de má qualidade, as pupilas dilatam porque não há o incômodo da claridade solar (já que a cor das lentes pode disfarçar isso), ou seja, em um efeito reverso, acaba deixando seus olhos mais expostos à radiação.

O ideal é usar óculos escuros com proteção UVA + UVB desde a infância. Exagero? Explicamos: nossa vista começa a sofrer a ação da radiação desde esta fase, pois crianças se expõem ao ar livre por mais tempo que os adultos. Além disso, até os 10 anos, o cristalino é completamente transparente, permitindo que 75% da radiação penetre na retina.

É claro que devemos usar óculos escuros o ano inteiro, faça chuva ou faça sol, mas no veão, especificamente, a radiação solar atinge seu pico. Apesar disso, a gente não precisa deixar de tomar sol, contanto que aproveitemos seus melhores horários, o clássico “antes das 10h e depois das 16h” continua valendo. Afinal, vitamina D também é importante!

 

Left Menu Icon